Você sabe o que é Zoom Fatigue?

Desde que a pandemia começou, lá no início de 2020, muitas coisas mudaram. Dentre elas, a rotina de trabalho e estudo de muitas pessoas. Aulas online e trabalho remoto, essas modalidades já existiam, mas podemos dizer que era uma opção para muitas empresas e alunos que se encaixavam melhor neste modelo.

Hoje, as aulas dos professores para seus alunos e as reuniões de trabalho passaram a ser de forma remota e até muitos encontros com os amigos e familiares acontecem através das telas.

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma série de novos hábitos e alguns problemas a serem enfrentados: um deles está diretamente ligado ao uso excessivo das telas, que tem provocado cansaço físico e mental. Esse esgotamento foi denominado de Zoom fatigue, que nada mais é que um estresse causado pelas reuniões virtuais, em sua maioria realizadas pela plataforma Zoom.

zoom-fatigue-em-decorrencia-do-uso-excessivo-de-telas
Durante a pandemia do coronavírus as aulas online tornaram-se uma realidade para professores e estudantes

Mas porquê será que isso acontece?

Quando estamos presentes na sala de aula, por exemplo, a linguagem corporal também fala, o que facilita na interação e comunicação. Já através das telas, o esforço mental para se fazer compreender, passa a ser maior. O indivíduo fica restrito à fala, o que causa grande desgaste para a maioria das pessoas, que com o tempo começam a sentir alguns sintomas deste degaste, como dores de cabeça e na coluna, vista cansada, olhos ressecados, estresse, fadiga, estafa mental e até crises de ansiedade.

O que podemos fazer para minimizar os danos do Zoom Fatigue?

• Dê pausas ao longo das atividades ajuda a minimizar os problemas com a visão;

• Para os professores: estabeleça horários para a preparação das aulas, a fim de evitar estafa mental;

• Organize os seus horários e esteja descansado para receber e absorver o conteúdo;

• Mantenha uma boa convivência com familiares, procure aliviar a mente com coisas que favoreçam o bem-estar, como ouvir músicas; praticar algum tipo de atividade física, nas dependências da sua residência ou ao ar livre; não se cobrar demais; respeitar seus limites e intercalar obrigações e deveres.

Sabemos que enquanto houver pandemia, este processo continuará sendo o “novo normal”, o home office e as aulas virtuais estarão presentes na rotina de professores e alunos. Se adaptar nem sempre é fácil, mas é preciso continuar de alguma forma, então a melhor saída é buscar minimizar os danos, organizar melhor o tempo e relaxar para evitar o esgotamento que o zoom fatigue pode trazer.